Rafael Marques defende informação transparente
sobre capitais recuperados

nov 30, 2020 | Media, Notas da Imprensa

Por Jornal de Angola, 28 de Novembro 2020

“Rafael Marques, que falava à margem do encontro sobre “Cidadania e segurança pública”, promovido pelo Centro de Estudo para Boa Governação (UFOLO), afirmou que “não está satisfeito com o processo de recuperação de capitais, pela falta de transparência sobre os montantes recuperados até agora”.

Referiu que a sua insatisfação tem duas razões de ser: “Não estou satisfeito, primeiro porque não há um anúncio claro sobre quanto já foi recuperado até agora em termos de valores; segundo, nenhum cidadão deve estar satisfeito quando temos uma crise económica e a fome no seio das famílias”. “Só vamos ficar satisfeitos quando virmos resultados deste processo a garantir mais empregos aos jovens e mais comida na mesa das famílias”, argumentou.

O também activista de Direitos Humanos disse, ainda, que “não é a detenção ou o julgamento de um ou outro cidadão acusado de pilhagem que satisfaz os anseios dos cidadãos”, porque “a verdadeira justiça, em última instância, assenta no bem-estar dos angolanos”. Para Rafael Marques, “estamos muito longe de alcançar este desiderato”. O jornalista mantém a expectativa de maior abordagem, a nível da sociedade, sobre “a melhor forma de recuperar os activos e de transformar a fortuna acumulada, de forma primitiva em riqueza útil para o país, porque os processos judiciais podem demorar muitos anos”.

(…)”

 

Leia o artigo completo aqui

Últimos artigos

Uma capela de jazz para dois Paulos

Uma capela de jazz para dois Paulos

O escritor José Luís Mendonça escreve sobre Paulo Kapela e Paulo Jazz, dois expoentes da cultura angolana. A ambos faltou-lhes a paciente entrega de um guru capaz de lhes despertar o fio da vida e, tal como as vidas deles, os seus funerais foram obscuros.

Share This